Nerd Pai D'égua

Amigos Nerds de Belém que gostam muito de várias coisas

Arquivos de tags: runner

Post-Mortem Magik Bottles

posmortem_magikBottles

Para conhecer o Jogo, assista o review feito pelo BelJogos em parceria com o canal História Revista:

1. Como foi que surgiu a ideia para o Magik Bottles? (BelJogos)
(Thiago Ataide – Minigum): Lá em junho de 2015 surgiu um convite pra fazer um jogo pro Animazon. O convite veio em maio, ou seja, só tinha um mês pra produzir alguma coisa. Eu trabalhava como professor, daí você já imagina como é maio e junho pra prof, período de prova é bem corrido. Pra completar, eu decidi que queria experimentar fazer um projeto sozinho, de ponta a ponta, sendo designer e dev.

Como eu queria ganhar tempo, baixei uma mecânica bem divertida de jogo de plataforma que achei. E como eu não sou ilustrador (mas sou modelador 3d), criei um personagem tosco e renderizei num estilo cartoon. Fiz até o efeito especial da mão amarela que ajuda o personagem (que na verdade é uma foto da minha mão mesmo).

No final, os códigos da mecânica que eu baixei não serviram pra muita coisa e todos os aspectos visuais foram improvisados, mas o resultado foi um jogo bem autoral, que é feio mas eu gosto. Basicamente, o jogador controlava um clérigo nervoso perseguindo um beholder (que a Wizard of the Coast não leia estava palavra aqui) ao longo de umas vinte fases. Batizei o jogo “muito criativamente” de Mago contra Monstros e levei pro evento. Achei esse vídeo dele por um milagre, nem consigo mais buildar os arquivos originais:

Pra minha surpresa, as pessoas que jogaram curtiram muito o joguinho e me falaram só coisas boas. Isso deu um mega gás na auto-estima. Daí fiz até promoções em que eu dei chocolate pra quem chegava longe e até convidei quem “zerava” pra criar um level do jogo lá na hora, junto comigo no notebook.

Depois disso eu me empolguei com os resultados e resolvi continuar o jogo, mas dessa vez sem fazer a loucura de fazer tudo sozinho. Convidei o Rafael Bessa, que é um ilustrador/animador fantástico, pra desenvolver o jogo comigo. Com a entrada dele a ideia ganhou corpo, virou um projeto sério e mais tarde o Mago contra Monstros evoluiu e virou o Magik Bottles.

2. Pq só tem para Android e iOS? (BelJogos)
(Thiago Ataide – Minigum): É engraçado, mas de 2016 pra cá o mercado de games mobile mudou drasticamente. Naquele período havia ainda bastante espaço pra inovar no uso do touch e a gente queria tentar isso. Além disso, a ideia inicial era fazer o projeto todo em uns três meses, daí que pensar em fases curtas e um público mais casual combina muito mais com esse prazo. O que a gente não sabia ainda é que levaria um pouco mais que três meses, só um pouco.

3. Quanto tempo levou o desenvolvimento? (BelJogos)
(Thiago Ataide – Minigum): Então, foram dois anos… Mas não demorou todo esse tempo porque traçamos mal o escopo, mas porque a gente começou a curtir o projeto e não tínhamos pressa pra terminar (só nos últimos quatro meses mesmo a gente correu).

Experimentamos quatro ou cinco mecânicas totalmente diferentes, amadurecemos os personagens devagar… Acho que isso fica mais claro se a gente comparar as primeiras artes conceituais daqueles três meses com o resultado final.

O briefing de cada personagem era basicamente umas duas frases. Mas a Chillie (a protagonista) e a Roxie (minha favorita) praticamente já surgiram aí, só que bem diferentes. O clérigo nervoso do Mago contra Monstros alguns meses depois virou o Artie e o Drake veio bem depois.
A ideia no início era representar personagens relacionados às classes de RPG que usam magia à outros elementos diversos. Por exemplo:

Bom todos esses concepts foram reprovados. Tem ainda mais outros que não encontrei aqui. Só Roxie e Chillie que evoluíram e entraram pro jogo com outro visual. Os personagens finais ficaram assim:

4. Quantas pessoas estavam envolvidas no projeto? (BelJogos)
(Thiago Ataide –  Minigum): Na maior parte só eu e Rafael Bessa. Na reta final chamamos o Bosco Pereira pra dar uma força na programação. Quase todo o projeto foi desenvolvido remotamente porque no início o Rafael já morava em São Paulo e eu em Belém. No meio do desenvolvimento mudei pra São Paulo, onde o Bosco também morava.

5. A repercussão do jogo teve impacto positivo na sua carreira? (BelJogos)
(Thiago Ataide –  Minigum): Ah, sim. Muito! Se a gente tinha algum objetivo comercial com o jogo não era o lucro, era ter um jogo completo e de qualidade no portfólio, por isso também não tínhamos pressa para concluir. Era nosso primeiro lançamento real, então produzimos tudo com carinho.

Magik Bottles é nosso cartão de visitas, ele já nos trouxe clientes até do exterior e abriu muitas portas profissionais. Ter ele no portfólio facilitou muito as coisas quando mudei pra São Paulo.

6. Quais foram as maiores dificuldades durante o projeto? (BelJogos)
(Thiago Ataide –  Minigum): Sem dúvida a falta de tempo. Ambos tínhamos empregos de tempo integral durante a maior parte do projeto, só restava mesmo o tempo livre pra fazer.

Depois o tamanho da equipe. A gente focou tanto na produção que fizemos quase zero divulgação. E se você quer fazer um jogo de sucesso você precisa gastar uma gota de suor em marketing pra cada gota gasta na produção. Chegamos a assinar com uma publisher internacional pra não ter que pensar nisso, mas a parceria não deu certo.

Do ponto de vista do jogo, o que eu mais gostaria de ter tido tempo pra trabalhar é o level design. Também queria explorar melhor a história, construímos um universo que não foi contado verbalmente, só visualmente através do design dos personagens e cenário.

Mas no final valeu a pena. O Bosco conseguiu um espaço no stand do Senac na CCXP, o Otoniel também do Iluminuras ajudou a divulgar lá no Artist Alley e a gente distribuiu umas garrafinhas com os personagens como brinde. Fizemos contatos muito bons, e conseguimos até bater um papo rápido com Didi Braguinha, Jovem Nerd, Rex e Afonso Solano e falar do jogo.

7. Conte algumas curiosidades durante o desenvolvimento.  (BelJogos)
(Thiago Ataide –  Minigum):
– Nenhum goblin se machucou (seriamente) nas filmagens;

– Os desenvolvedores centrais são na verdade dois designers, então aprendi a desenvolver uns meses antes desse projeto começar porque a gente nunca concluía projeto;

– Dois dos personagens cotados pro jogo, mas não aprovados no final, foram baseados em mim e no Rafael. Tem rascunhos deles nos personagens reprovados, você consegue adivinhar quais no meio desses somos nós dois?;

– Testamos 4 mecânicas principais totalmente diferentes pro jogo, na quinta tentativa voltamos pra primeira porque era a mais legal mesmo;

– Nos preocupamos muito com representatividade. Os protagonistas são duas garotas e dois garotos de propósito, buscamos sempre esse balanço. Os meninos nós aprovamos rapidamente, mas as meninas demoraram porque colhemos feedback de várias garotas até chegar num resultado satisfatório. Trabalhamos tanto nelas que são minhas preferidas;

– Quando você zera o Magik Bottles você recebe de presente quatro papéis de parede de celular como recompensa e agradecimento por jogar. Vou deixar aqui o link dos papéis de parede de presente pra vcs, que estão lendo este artigo. 😉👌. E aproveitem porque o Rafael caprichou, o da Chillie tá lindão;

8. A Minigum tem projetos futuros? (BelJogos)
(Thiago Ataide –  Minigum): Ah, sim, vários. Estamos trabalhando na prova de conceito de uma mecânica nova nesse momento, um jogo que mistura Master Chef e Desafio Sob o Fogo num cenário de fantasia medieval em que os verdadeiros heróis são os ferreiros. O projeto se chama Flames’n’Blacksmith (por enquanto) e eu sei que parece maluco, mas estamos gostando do que tem saído. Em breve vamos abrir pra testes pra colher feedback da mecânica, posso passar um link pra vc testar? (BelJogos: Sim, com certeza! 😉)

9. Tem outros games no Portfólio? (BelJogos)
(Thiago Ataide –  Minigum): Nossa produção de jogos autorais teve que desacelerar um pouco. Todos somos professores e passei os últimos dois anos dedicado ao Mestrado em Jogos Digitais. Na Minigum assumimos foco em advergames e jogos educativos depois do Magik Bottles, todos de clientes que o jogo nos ajudou a conquistar. Neste momento, Eu e Rafael estamos trabalhando integralmente numa empresa que faz jogos para treinamento empresarial, mas não podemos divulgar o que fazemos lá por contrato com a empresa :/
Mas alguns outros nós podemos divulgar, como o serious Bacon Defenders, que foi muito divertido de produzir.

Clique para ir para a página no Behance

Tem também o livro jogo infantil Uma Banda Animal, que desenvolvemos com a Saru Produções. Ele já tá pronto há um tempo, mas ainda não lançamos, vamos traçar um plano de lançamento depois da pandemia. O legal desse livro é que o protagonista vai formando uma banda com animais que encontra na floresta. No final, a banda se apresenta e toca uma música. Como cada animal toca um instrumento, a música ao final fica diferente dependendo dos animais que entrarem na banda. Não temos material de divulgação, mas tem essa demo pra navegador. Tá um pouco pesada, mas tá completinha.

10. Cadê a demo da corrida Naruto? 😁  (BelJogos)
(A Corrida Naruto foi 1 mini game que a equipe da Minigum levou para o evento Animazon 2016 para atender a temática do evento, que é voltado a promover a cultura japonesa e os animes. Fez muito sucesso no estande deles, atraindo muitos jovens para jogar e participar de disputas.)

Clique para jogar

(Thiago Ataide –  Minigum): Nossa, essa deu trabalho de achar, mas tá aqui. Obrigado por perguntar, fiquei nostálgico depois de achar. Tem outros joguinhos mais simples também estilo Jam não-listados no Youtube. Fiz eles com o Rafael (os bonitos) ou sozinho (os feios). Risos. Seguem os registros:

11. A Minigum pensa em fazer mais jogos com esses personagens, pois a arte deles e dos cenários foi muito desenvolvida para ficar apenas em um jogo. 😁  (BelJogos)
(Thiago Ataide –  Minigum): Muito obrigado pelo elogio :D. Sim, e iremos. Eu amo a Roxie e quero um jogo só dela e da Chillie. Por enquanto, estamos planejando o Flames’n’Blackmiths no mesmo universo que Magik Bottles, mas queremos voltar aos personagens de Magik Bottles em breve.

12. Um material extra do Magik Bottles
(Thiago Ataide –  Minigum): Olha esse teste de corrida que fizemos lááá no meio do desenvolvimento. O cenário tá sofrido porque fui eu que desenhei, depois o Rafael fez o cenário de verdade:

Versão Pré Alpha – Clique para jogar

Essa mecânica é bem diferente do produto final mas lembra uma mecânica mais de console:
https://youtu.be/RDfNlBrXils  (beta com título diferente / Little Wizards)

Nesse ponto a arte tava um pouco mais desenvolvida e a mecânica próxima do resultado final:
https://youtu.be/yz2y5qyHlGg  (versão alpha já com o título final)

Quando voltamos ao Animazon, em 2016, já com o Magik Bottles perto do fim, gravamos este garoto jogando. Ele deu feedbacks valiosíssimos:
https://youtu.be/P7wIFzlFSGU  (criança jogando o beta do game)

 (Thiago Ataide –  Minigum): Já perto de lançar o jogo era assim em beta:
https://youtu.be/bbUTWBtIplk  (final beta)

E aqui o press kit do lançamento. O domínio .com tá fora do ar, mas nesse wix ainda tem tudo.

13. Última pergunta: Qual a game engine utilizada e porque ela foi escolhida? Depois do jogo publicado, você recomenda esta ferramenta? Se sim, porquê? (BelJogos)
(Thiago Ataide –  Minigum): Ah, sim. Usamos a GameSalad. É uma engine que pouca gente conhece e é que eu costumava indicar para iniciantes por ser bem fácil para começar, mas não a recomendo mais. A engine era gratuita no início, mas repentinamente passou a ser paga e o preço não compensa. Além disso, ela é bem limitada.

14. Contatos da Minigum, para trabalhos e portfólios: (BelJogos)
(Thiago Ataide –  Minigum):
– Thiago Ataide – tenataide@gmail.com
https://www.facebook.com/minigumgames/
https://www.facebook.com/magikbottles/