Nerd Pai D'égua

Amigos Nerds de Belém que gostam muito de várias coisas

Arquivos da Categoria: Animação

As tartarugas estão de volta!!!

Olá a todos e como sempre vem o aviso: a seguir blablablabla spoiler, se não quiser saber antes blablablabla não leia esse post.

Como um fã das tartarugas, não teria como esperar para assistir a estreia delas aqui, então assisti antes e aqui vai o review.

Bom para começar, não há como negar de que o trabalho mais fiel ao original até hoje, foi a segunda animação lançada em 2003 pela Fox. Nessa série, você encontrava os Dragões Púrpura, os Ultroms, o fugitoid Honeycut, a viagem deles pelo espaço e todo resto que aconteceu com eles nos quadrinhos. Pena que depois de algumas temporadas, a série desandou e ficou uma bela de uma porcaria. No entanto, parece que essa nova série veio para reviver muito dos quadrinhos e da primeira série animada do fim dos anos 80.

Vamos começar falando da nova abertura. A música foi completamente baseada na primeira série animada só que agora embalada pelo Hiphop.

Simplesmente fantástico

Tudo esta lá: “Teenage mutant ninja turtles, heroes in a half shell, turtle power”, “Splinter taught them to be a ninja team”, “Leonardo is the leader, Donatello does machines”, “Raphael is cool but brute, Michelangelo is a party dude” e outras. Obviamente que essas referências não foram simplesmente coladas na íntegra, mas estão lá, adaptadas para a música atual. Porém, a referência que mais me deixou comovido esta na última cena, quando elas aparecem exatamente da mesma forma em que elas foram desenhadas na capa da primeira edição dos quadrinhos desses personagens.

Quanto à história, infelizmente só consegui assistir três episódios, mas do que eu já pude assistir posso dizer que, essa sem dúvida foi a melhor adaptação da origem deles, melhor até mesmo do que a original.

No original, as tartarugas e o Splinter se transformavam de animais em humanoides através do contato deles com o Ooze e com os humanos. Tudo isso sendo resultado de um simples acidente com uma cápsula que escapa do caminhão dos Ultroms/Krangs. Nessa nova série, o mestre Amato Yoshi vai investigar uma pessoa suspeita enquanto carregava suas tartarugas e durante seu confronto com os Ultroms/Krangs, ele e suas tartarugas acabam sendo atingidos pelo Ooze. Sim pessoal, SIM!!! O mestre Splinter É o próprio Amato Yoshi, assim como foi na primeira série animada só que agora baseada mais na história original, o que dá maior profundidade no confronto contra o vilão Retalhador (desculpem, mas a melhor tradução de Sheredder é Retalhador, da mesma forma que foi traduzido pela primeira vez aqui no Brasil quando foi lançado em quadrinhos pela editora Sampa e não como os imbecis que deram o nome de Destruidor quando traduziram a primeira série animada. Caso um de vocês que fizeram essa cagada leia isso, espero que vocês tomem no cú porque vocês erraram e ponto).

Uma nova imagem para contar uma antiga história

Um ponto que nunca foi tocado antes é a ausência do treinamento deles em equipe e de como isso os afetaria em um primeiro confronto. Nessa série, Splinter os treina como indivíduos, mas não como um grupo, o que termina em como Leonardo se torna o líder do grupo. Sinceramente, isso ficou muito bacana nesse novo “desenho” mas acho que, ao mesmo tempo, fica incoerente para uma pessoa sendo um guerreiro saído de um clã, tendo quatro irmãos para treinar, não treina-los para agirem também em grupo.

Confusão na hora de lutarem juntos

Outra característica da história, mas que faz referência à primeira série animada é o surgimento de personagens mutantes que entram em contato com o Ooze. Para quem lembra e tinha os bonecos, a quantidade de personagens mutantes era imensa e pelo visto isso irá se repetir nessa série, só que com uma base mais sólida para que esses monstros apareçam.

Outra referência bem bacana é a origem de April que foi baseada no original, onde ela era a assistente do cientista Baxter Stockman, criador dos caça-ratos. Nessa série ela é filha de um cientista que foi sequestrado pelos Ultroms/Krangs e que encontra as tartarugas durante seu resgate.

Durante esses três episódios existem muitas referências como: A casa das tartarugas que é baseada no segundo filme, o canal 6 e muitas outras que, se fosse ficar escrevendo, iam dar umas boas páginas de review.

Visualmente, a série esta ótima, com uma mistura de 3d com 2d impecável. Temos também a influência da animação japonesa, mas o que me chamou mais a atenção é a presença das marcas de treino nos personagens. As carapaças arranhadas e até mesmo quebradas, como a do Rafael e a falta de um dente no Donatello. Marcas que simbolizam um treino árduo, assim como as que apareceram nas tartarugas originais dos quadrinhos. Outra coisa que chama a atenção são os equipamentos e adereços manchados, sujos e envelhecidos que eles usam. Tudo isso deixa a série um pouco mais verossímil se comparada com as outras e até mesmo com o longa em 3d, o TMNT.

Para finalizar, apesar de voltar ao teor infantil da década de 80, essa animação esta conseguindo equilibrar tudo através dos contrapontos com sua verdadeira origem nos quadrinhos. Para mim, fã desses anti-heróis (sim, nos originais eles são anti-heróis. Se não acredita, leia os quadrinhos), a série de 2003 e o filme Turtles Forever, foram as animações que chegaram mais perto de realizar meu sonho de ver as verdadeiras Tartarugas Adolescentes Mutantes Ninja sendo mostradas como elas realmente são: violentas, diretas e sarcásticas.

O Ultrom / Krang esta de volta

Resident Evil Damnation é o bixo

Fala galera! Antes de começarmos é bom avisar que podem existir spoilers neste post sobre mais esta animação 3D animal de Resident Evil.

Onde Leon esta, ela esta também

Bom, o filme não é uma continuação direta do seu antecessor Degeneration mas conta uma história nova e única utilizando alguns dos personagens desta franquia.

A animação se passa no leste europeu durante uma guerra civil e o governo americano envia o agente especial Leon S. Kennedy para investigar quando começam a espalhar boatos sobre o uso armas biológicas na guerra. Esta nova história é bem escrita e amarrada com início, meio e fim. Mesmo não tendo nenhuma relação direta com nenhum dos jogos até o momento, o enredo é bem bacana mas sem apresentar nenhuma grande novidade para quem acompanha a série desde sua origem. Outra boa característica desse filme é que a direção conseguiu aliar bem os momentos de ação e contextualização.

Outra característa deste filme é a presença de diversas cenas para serem vistas em 3D. Todas foram utilizadas muito bem durante o filme mas são momentos e não o filme inteiro. Umas das coisas bem bacanas de poder ver em 3D devem ser as cenas em primeira pessoa presentes no filme.

Isso em 3D deve ser o bixo


As B.O.Ws arrebentam nesse filme

A animação esta muito bem feita, com fluidez e sem muitas características robóticas presentes nos modelos 3D de muitas animações do mesmo estilo.

A iluminação ficou excelente e as texturas não estão acima do padrão dos jogos da série, mas estão melhores do que as da animação anterior.

As vozes em inglês estão bem legais apesar do pouco sotaque nos personagens europeus e também houve uma mudança na voz do Leon com relação à última animação para que ficasse igual a voz do Leon no novo jogo (Resident Evil 6), mas que não afeta em nada o filme.

Por fim, o filme é muito bom e seria ótimo se tivessemos a sua exibição nos cinemas além da presença do Blu-Ray nas lojas.

Agora senta e chora

O Cavaleiro das Trevas animado é fantástico.

Como quase todo o universo já leu o quadrinho dificilmente vou segurar alguma coisa que acontece neste longa animado. Caso você não tenha lido, você provavelmente deve ser novo no mundo Nerd e verá spoilers nesse post.

Depois de esperarmos tanto e assistirmos diversos trailers, finalmente ele chega as prateleiras para continuar o legado de seu genitor nas animações da DC.

Em breve ele retornará

A 1ª parte da animação, abrange uma boa parte do quadrinho deixando que vai do retorno de Bruce Wayne para o combate ao crime, passando pela captura do novo Duas-Caras e terminado com a aniquilação cirúrgica do líder mutante.

Não tem como ver essa animação sem comparar com o quadrinho e uma coisa que você verá muito pouco nessa animação, é a constante presença dos pensamentos de Bruce Wayne, mas em compensação, o diretor aproveitou todas as principais cenas que Frank Miller colocou de forma cinematográfica nos quadrinhos. Contudo, não chega a ser uma transposição como aconteceu nas outras duas adaptações de suas obras para o cinema. Um bom exemplo desta diferença entre quadrinho e animação,  é de como foi retratada a influência da idade sobre o desempenho de Bruce como Batman. Nos quadrinhos, Bruce fazia reflexões durante suas ações como Batman e na animação, tudo foi traduzido visualmente com a ajuda fantástica do áudio.

Batman estalando seus ossos cançados

Até você sentirá esse chute

Por falar nisso, toda a parte sonora do filme esta fantástica, a trilha sonora esta muito boa, mas o principal é o som da brutalidade presente nesta animação. Todas as lutas e ações do Batman são muito mais brutais do que em qualquer outro filme animado. Todos os sons são viscerais e cada golpe bem sucedido, pode ser sentido pelas pessoas que estão assistindo.

Visualmente o filme esta indiscutível, com a qualidade impecável presente em todas as animações da DC. Outra parte, também indiscutível no filme, é a dublagem, com o senhor Márcio Seixas como Batman e Ayrton Cardoso como Alfred. Contudo, pode ser que alguns estranhem estes dois dubladores pois, ambos os personagens, estão mais velhos mas as vozes são as mesmas de quando o Batman era mais novo e ainda temos o precedente de já termos escutado o Roberto Macedo como o Bruce Wayne mais velho no desenho Batman do Futuro.

Porém nada disso afeta a qualidade final do filme. O filme esta fantástico e agora é só esperar pela segunda parte quando iremos ver a entrada do coringa e o confronto titânico entre os dois ícones da DC.

Batman em sua mesa de cirurgia