Nerd Pai D'égua

Amigos Nerds de Belém que gostam muito de várias coisas

Post-Mortem Ergosphere Game Studio

posmortem_ergosphere

Para conhecer o Jogo, assista o review feito pelo BelJogos em parceria com o canal História Revista:

1. Como foi que surgiu a ideia para o Magic Forms? (BELJOGOS)
(Bruno Medeiros – Ergosphere Game Studio): A ideia veio de uma lembrança minha da infância, de quando ia na casa do meu tio Roberto (falecido a alguns anos) nos finais de semana para reuniões em família. Ele tinha um cubo mágico de ferro, que tinha trazido de uma de suas viagens. Toda vez que ia lá, gostava de completar esse cubo mágico (depois de adulto, já não consigo mais kkk).

Pouco tempo depois de formado, tive essas lembranças da minha infância, de forma recorrente. Pensei em uma forma de modernizar e facilitar o objetivo final do cubo, que é deixar as faces das formas preenchidas com cores, porém com a livre escolha do jogador de escolher qual cor quer preencher cada face do cubo. Foi aí que entrou o recurso do toque para mudar as cores de cada elemento da face, facilitando o caminho para concluir o cubo. Acredito que foi meu tio que me enviou essa idéia lá do céu e sou muito grato a ele por isso.

A idéia inicial era pra ser um aplicativo relax, mas aí acabei pensando que essa mesma mecânica, poderia ser aplicada às demais formas geométricas e ao fazer testes de campo, alguns amigos sugeriram adicionar um modo de tempo, para que realmente se tornasse um game mais interessante através da dificuldade de concluir as formas dentro de um determinado tempo.

2. Em quais plataformas o jogo está disponível? Tem previsão de sair em outras plataformas? (BELJOGOS)
(Bruno Medeiros – Ergosphere Game Studio): Está disponível na Google Play (Android) e na Steam (Windows). No momento estou estudando possibilidades de lançar nas plataformas App Store (iOS), GoG, Microsoft Store e Nintendo eShop, além incluir versões para Mac e Linux na Steam.

3. Quanto tempo levou o desenvolvimento? (BELJOGOS)
(Bruno Medeiros – Ergosphere Game Studio): A mecânica do jogo em si, levou 8 horas para ser concluída, porém levou quase 2 meses o tempo de refinamento do jogo, até ficar na etapa final para ser lançado no mercado.

4. Quantas pessoas estavam envolvidas no projeto? (BELJOGOS)
(Bruno Medeiros – Ergosphere Game Studio): Tecnicamente, 2 pessoas. Eu e meu amigo Pietro Failache (@pietrofailache instagram e soundcloud), que é produtor musical. Pedi uma consultoria visual para meu ex-chefe, o Zé Paulo, que me deu conselhos para deixar o jogo mais atrativo para crianças, meu público-alvo. E aí fiz as alterações que ele recomendou.

5. A repercussão dos jogos teve impacto positivo na sua carreira? (BELJOGOS)
(Bruno Medeiros – Ergosphere Game Studio): Acredito que teve sim, pois serviu de portfólio para mostrar que consigo desenvolver um jogo simples, do início ao fim, praticamente sozinho (só a parte de produção musical que não sei ainda rs). E também ajudou a conseguir um contrato freelancer com um estúdio de games de São Paulo. Além de servir como parte da vitrine do site do meu estúdio (Ergosphere Game Studio) e também da agência de publicidade que estou começando junto com mais dois amigos: a Agência Flame.

6. Quais foram as maiores dificuldades durante o projeto? (BELJOGOS)
(Bruno Medeiros – Ergosphere Game Studio): A maior dificuldade está sendo agora, ao passar o game para a Steam, pois é bem difícil de implementar os achievements. Totalmente diferente da facilidade que tive em implementar na Google Play, com o Firebase (queria que fosse bem tranquilo assim na Steam também kkk).

7. Conte algumas curiosidades durante o desenvolvimento. (BELJOGOS)
(Bruno Medeiros – Ergosphere Game Studio): Uma curiosidade sobre o Magic Forms, é que ele foi um dos últimos projetos escritos no meu primeiro caderno de idéias de jogos, porém era o que estava mais dentro do meu alcance para desenvolver com a minha capacidade técnica e os recursos que eu tinha na época. E ele surgiu da ideia inicial de ser um brinquedo eletrônico, que foi digitalizado. Em breve, gostaria muito de retomar essa proposta física, através de parceria com uma fabricante de brinquedos e lançar mundialmente no mercado.

Outra curiosidade foi que coloquei uns sets inteiros de DnB e Lo-fi para escutar enquanto programava a mecânica do jogo. Ajudou a me manter ligado e empolgado na programação ininterrupta kkk.

8. A Ergosphere GS possui projetos futuros em andamento que possa compartilhar? (BELJOGOS)
(Bruno Medeiros – Ergosphere Game Studio): Sim! Pretendo concluir o terceiro game do estúdio, o Amazeverse, até final de dezembro (infelizmente precisei atrasar por causa de freelas para ajudar nas contas de casa e outros projetos pessoais). É um jogo que está sendo desenvolvido em parceria com o meu amigo Gabriel Lanhellas (@lanhellasgabe no insta e no soundcloud), que é produtor musical. O Amazeverse é uma viagem minha, inspirada no gênero musical DnB (drum and bass) sobre labirintos em planetas em diferentes graus de dificuldade, onde o objetivo do jogador é movimentar o planeta para levar a bolinha ao cubo de teleporte para passar de fase.

Também tem o Beat It Up, que é um game musical de pancadaria e teve início na Game Jam+ de 2019 junto com mais 6 amigos. Pretendo continuar ele e lançar ano que vem na Steam e na Google Play, se der tudo certo.

9. Possui outros games no Portfólio? (BELJOGOS)
(Bruno Medeiros – Ergosphere Game Studio): Games não, mas sim uma enxurrada de protótipos desenvolvidos de 2014 pra cá. São testes de jogos com mecânicas novas e alguns com uma narrativa bem legal. Acredito que os jogadores vão gostar no futuro 😊

Confiram os perfis do desenvolvedor nas plataformas de jogos indies e protótipos, itchio // gamejolt // Global Game Jam.

10. Última pergunta: Qual a game engine utilizada e porque ela foi escolhida? Após o fim da produção do jogo, você recomenda esta ferramenta? Se sim, porque? (BELJOGOS)
(Bruno Medeiros – Ergosphere Game Studio): A engine escolhida foi a Unity, pois já tinha uma certa familiaridade com ela desde 2006, quando comecei a montar alguns cenários 3D. Nessa época eu adorava fazer cenários 3D para testar alguns protótipos de jogos em várias game engines. E em 2014, no último ano do curso de desenvolvimento de jogos da Estácio-IESAM, onde pude ver e estudar com uma maior profundidade, através do professor Ricardo Damasceno, que lecionou a matéria de desenvolvimento de jogos tridimensionais e também através do coordenador Elinaldo Azevedo, que criou o Laboratório de Desenvolvimento de Interatividade (não me recordo bem o nome), onde pude participar do desenvolvimento de 2 projetos de games. Foi também a engine que me possibilitou um estágio, um emprego e um trabalho freelancer na área antes do jogo ser desenvolvido. Adquiri uma baita experiência trabalhando em todos esses projetos.

Recomendo total! A Unity é a game engine mais utilizada na indústria dos jogos independentes (só acessar o site oficial e ver o reel dos games desenvolvidos nela), além de ser a engine mais usada pelas empresas no Brasil, o que me possibilitou o freelancer de um game hyper casual que estou trabalhando no momento. Fora que ela é uma das mais utilizadas no mundo em aplicativos de realidade aumentada e virtual em outros ramos além de jogos, como: marketing, arquitetura, engenharia, saúde, esportes, automóveis, simuladores para treinamentos, simuladores para ensino à distância, etc. Então afirmo com toda certeza que quem não estudar com afinco as engines mais usadas na indústria dos jogos e aplicativos, vai ficar pra trás.

11. Escreva uma breve bio sobre você, para te apresentar para pessoas que não te conhecem. (BELJOGOS)
(Bruno Medeiros – Ergosphere Game Studio): Bruno Medeiros → Tecnólogo em Desenvolvimento de Jogos Digitais e Especialista em Produção Audiovisual (Estácio-IESAM 2014 e 2017). Trabalhou no desenvolvimento de games educacionais para empresas locais e um deles para a prefeitura do Rio, além de alguns simuladores para uma plataforma de ensino superior. Atualmente tem seu próprio estúdio.

Pietro Failache → Compositor e Designer de som para jogos digitais. Nascido em Belém, desde pequeno é apaixonado por soundtracks de jogos e animes. Gosta de misturar esses elementos à cultura Paraense, Synthwave, Orquestral e seus derivados. Sempre interessado em criar algo único em cada projeto.

12. Deixe seus contatos + link de site + portfólio para divulgação. (BELJOGOS)
(Bruno Medeiros – Ergosphere Game Studio):
Eu, Bruno Medeiros → facebook + instagram + twitter (@brunowolfheart)
site do estudio: ergospheregamestudio.site // linkedin: brunogamedesigner
Portfólio: Unity // itchio // Gamejolt // behance

Pietro Failache → facebook + instagram + twitter (@pietrofailache)
Portfólio: Soundcloud // Youtube // bandcamp

Uma resposta para “Post-Mortem Ergosphere Game Studio

  1. Pingback: Nerd Pai d’égua + BelJogos | Nerd Pai D'égua

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: